Conheça 5 famosos capazes de dominarem os sonhos

Você sabia que na história existem personalidades importantes (e outras fictícias) capazes de terem sonhos lúcidos? Conheça 5 deles:


Thomas Edison: Edison valorizava tanto o estado de hipnagogia (estar meio dormindo e meio acordado) que desenvolveu sua própria técnica para manter-se nele enquanto trabalhava em suas invenções. Sentando-se numa cadeira especial, Edison usava técnicas de relaxamento e meditação para alcançar o estado entre o sono e a vigília. Ele segurava algumas bolas de bilhar na palma da mão fechada para baixo, repousada no braço da cadeira. Debaixo da mão colocava uma tigela de metal. Se ele pegasse no sono, sua mão se abriria, as bolas cairiam dentro da tigela e o ruído o despertaria. Ele repetia o processo várias vezes e registrava o que percebia, tanto que muitas de suas invenções tiveram início dessa maneira.


Salvador Dali: O famoso pintor surrealista tinha usava um método de criação semelhante ao de Edson. Ao sentir sono, ele se sentava numa poltrona com uma chave na mão. No chão, logo abaixo da mão que segurava a chave, ficava um prato. Dalí procurava se manter naquele estado de consciência da fronteira entre a vigília e o sono, a hipnagogia, no qual as barreiras da lógica são frouxas e começamos a viver uma espécie de delírio muitas vezes cheio de imagens bizarras que era exatamente no que ele estava interessado. Se adormecesse, a chave na sua mão cairia no prato fazendo o acordar. Imediatamente ele tratava de desenhar as imagens que tinha vislumbrado no estado hipnagógico. Assim, Dalí criou muitas de suas telas.


A frase Penso, logo existo, conhecida por sua forma em latim Cogito, ergo sum, é uma frase do filósofo francês René Descartes

René Descartes: Descartes além de ser um exímio sonhador – usava seus sonhos para auxiliar em suas produções intelectuais – também era capaz de ter sonhos lúcidos. Essa relação de Descartes com os sonhos leva-o a construções argumentativas surpreendentes. Destaca-se como percebeu nos sonhos, a facilidade com que a experiência sensorial pode ser simulada. Para o filósofo francês, pode-se chegar ao ponto de ser praticamente impossível distinguir o estado desperto de um sonho.


Stephen LaBerge: LaBerge começou a pesquisar sobre sonho lúcido para seu Ph.D. em Psicofisiologia na Universidade Stanford. Desenvolveu técnicas para permitir que ele mesmo e outros pesquisadores entrassem num estado de sonho lúcido à vontade, mais notadamente a técnica MILD (indução mnemônica de sonhos lúcidos), que foi necessária para muitas maneiras de experimentação de sonho. Em 1987, fundou O Instituto da Lucidez, uma organização que promove pesquisas sobre sonho lúcido, bem como opera cursos para o público em geral em como alcançar um sonho lúcido.



Simon Gambler: Protagonista do livro “O Headhunter Que Caçava Sonhos”, Simon Gambler é um bem-sucedido headhunter de uma empresa multinacional londrina. Acostumado à rotina de um executivo de sucesso, sua vida muda por completo quando ganha de presente um livro que ensina a controlar e a desfrutar o mundo dos sonhos (escrito pelo próprio Stephen Laberge). Conforme vai evoluindo na arte do sonho lúcido, Simon acaba conhecendo seu alter ego, Bennett, responsável por virar sua vida de ponta-cabeça, envolvendo-o em romances, mistérios, assassinatos e em diversas aventuras com personagens famosos, que vão desde Nelson Mandela até o cantor inglês Morrissey.


Para saber mais sobre o livre o Headhunter que caçava sonhos, aqui vão os links:

versão e-book / versão papel


Fontes:

Blog Fronteira da Ciência / Blog Sonhos Lúcidos

#sonholucido #oheadhunterquecaçavasonhos #controledossonhos #willmonteath #headhunter #ebooklovers



23 visualizações